Como identificar problemas no ar-condicionado do carro?

Em um país de clima tropical como o Brasil, ter um carro com ar-condicionado pode não ser um equipamento de luxo, mas uma necessidade. Prova disso é que hoje quase todos os modelos já saem de fábrica com esse item — diferentemente do passado, quando só os “carros completos” costumavam ter.

No entanto, como qualquer outro componente do carro, o ar-condicionado também pode apresentar defeitos. Mas você não quer que isso aconteça, não é mesmo? Por isso, saber como identificar problemas no ar-condicionado do carro é uma boa maneira de evitar que ele pare de funcionar.

Pensando nisso, preparamos este artigo para mostrar a você quais os sinais indicam que o ar-condicionado do seu carro pode não funcionar corretamente. Veja!

Como funciona o ar-condicionado de um carro?

Quando você entra no carro e liga o ar-condicionado, não imagina todo o processo que ocorre para que o ar seja resfriado e torne a cabine muito mais agradável, não é mesmo? Pois, saiba que apesar de ter uma função simples, o funcionamento de um ar-condicionado automotivo é bem complicado.

Por isso, para que você entenda bem como tudo acontece, detalhamos o funcionamento desse importante item de conforto e que está presente na maior parte dos carros atuais. Mas não se preocupe, pois, simplificamos tudo!

Inicialmente, é preciso que você saiba que o sistema de ar-condicionado de um carro funciona a partir de uma série de componentes. São eles:

  • compressor;
  • condensador;
  • filtro secador;
  • válvula de expansão;
  • gás refrigerante;
  • motor — que é o do próprio carro;
  • tubulação.

De maneira simplificada, para que a temperatura interna do carro caia, o compressor se encarrega de comprimir o gás refrigerante, enviando-o para o condensador. No condensador, o gás é resfriado, passando para a forma líquida.

Em seguida, o fluido passa pelo filtro secador, onde a umidade e as impurezas são removidas. No próximo estágio, o fluido refrigerante é mandado para a válvula de expansão, que reduz a pressão e a temperatura, transformando o fluido em uma espécie de névoa.

Ao final, essa névoa é conduzida ao evaporador, circulando por serpentinas de cobre. Nesse momento, a ventoinha sopra o ar, que passa pelas serpentinas e se resfria. Em seguida esse ar é lançado dentro da cabine do carro, resfriando-a.

Todo esse processo se repete continuamente. É assim que o seu carro fica gelado, entendeu?

Quais sinais indicam que o ar-condicionado está com problemas?

Agora que você já entende como um ar-condicionado de carro funciona, é hora de aprender como identificar falhas nesse sistema. Existem “sintomas” que indicam problemas no ar-condicionado do carro. Então, é bom ficar atento.

Confira, a seguir, quais os sinais mais comuns!

Baixa eficiência

Notou que o ar-condicionado do seu carro já não está funcionando mais como de costume? Esse certamente é um indicativo de que algo está errado. Existem diferentes causas para esse problema, como:

  • acúmulo de sujeira nos filtros ou no condensador;
  • vazamento do gás refrigerante;
  • ineficiência do compressor, entre outras.

Em carros com mais tempo de uso, há sempre uma probabilidade maior de que problemas aconteçam no sistema de ar-condicionado. Por exemplo, é possível que uma mangueira tenha furado devido à oxidação, gerando o vazamento do gás refrigerante.

Além disso, o desgaste natural pode fazer com que o compressor não funcione mais com a mesma eficiência, ocasionado a diminuição da capacidade de resfriamento do sistema.

Cheiro desagradável

Outro sintoma de que o ar-condicionado do seu carro pode não estar legal é a presença de mau cheiro nas saídas de ar. Esse problema, na maior parte dos casos, está relacionado com o excesso de sujeira, fungos e bactérias no sistema — especialmente quando não se faz a higienização adequada.

Em regra, a presença de odores desagradáveis no ar-condicionado é algo simples de ser solucionado. Provavelmente, uma boa limpeza resolva. Mas em alguns casos pode ser necessário substituir os filtros.

Presença de umidade dentro da cabine

Quando em perfeito estado de funcionamento, o ar-condicionado do carro promove o resfriamento do ar sem gerar o acúmulo de umidade. Então, ao sinal de que existe água pingando dentro da cabine, certamente há algum problema com o equipamento.

A umidade é uma condição que afeta a capacidade do ar-condicionado, impedindo que o resfriamento seja feito adequadamente. Com isso, o sistema precisa ficar acionado por mais tempo, aumentando o consumo de combustível e forçando a bateria do carro.

Como cuidar do ar-condicionado do seu carro?

Para evitar qualquer problema com o ar-condicionado do seu carro, não existe segredo. Na verdade, o que é preciso é adotar uma postura preventiva, fazendo as manutenções no tempo e da forma correta.

Por exemplo, é recomendado substituir o filtro de ar com regularidade, principalmente se você circula em locais com muito pó e poluição. No mais, levar o carro para fazer a limpeza e a higienização do ar-condicionado, além de ser bom para a sua saúde, garante que o sistema funcione da maneira ideal.

Vale lembrar, ainda, que existem outros cuidados básicos que podem garantir a eficiência do ar-condicionado do seu carro. Tais cuidados também evitam que você tenha que gastar com manutenções corretivas — que podem ser bastante demoradas e caras.

Entre essas medidas básicas, recomendamos que você:

  • ligue o ar-condicionado de tempos em tempos, pelo menos uma vez por semana, o que evita o acúmulo de sujeira no sistema e ainda promove a sua lubrificação;
  • faça manutenções preventivas a cada seis meses;
  • evite acionar o ar-condicionado quando a cabine está muito quente — nesse caso, o ideal é circular um pouco com as janelas abertas, para que o ar quente saia, e só depois ligar o ar;
  • tenha certeza de que todos os vidros estão fechados ao ligar o ar-condicionado.

Por fim, identificar problemas no ar-condicionado do carro não é uma tarefa tão complicada. Na verdade, alguns sintomas já são fortes indicativos de que as coisas não estão como deveriam e é hora de buscar auxílio profissional. Então, atente aos pontos mencionados neste artigo.

Fonte: meucarronovo.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *